Se seu navegador não suportar JavaScript. Algumas funcionalidades não serão exibidas, estamos trabalhando para disponibilizar mais breve possível as funcionalidades sem javascript.

suaCidade

São Luís

21/08/2017 - 07:09

Sao Luis: Nuvens Dispersas, 26 °C

CPI do BNDES inicia trabalhos e deve ouvir Wesley e Joesley Batista

CPI do BNDES inicia trabalhos e deve ouvir Wesley e Joesley Batista

A CPI do BNDES vota seu plano de trabalho na próxima terça-feira (15). A proposta incluirá viagens aos países que receberam empréstimos do banco.

Senadores ainda definirão os documentos a serem requeridos e as pessoas a serem ouvidas, entre elas, os donos da JBS. Segundo o presidente, senador Davi Alcolumbre (DEM–AP) e o relator da CPI, senador Roberto Rocha (PSB–MA), a comissão terá um caráter investigativo para apurar as irregularidades na concessão de empréstimos e também propositivo para sugerir uma legislação para coibir o mau uso do dinheiro público.

O Senado instalou na quarta-feira (2) a CPI do BNDES. De iniciativa do senador Roberto Rocha (PSB-MA), a CPI do BNDES vai investigar os empréstimos concedidos pelo banco para empresas brasileiras que levaram seus negócios para o exterior a partir de 1997.

Na reunião de instalação da CPI, foram eleitos, para presidente e vice-presidente do colegiado, os senadores Davi Alcolumbe (DEM-AP) e  Sérgio Petecão (PSD-AC), respectivamente. Para relator, foi escolhido o senador Roberto Rocha, por indicação do presidente eleito e com a unanimidade do colegiado.

Segundo Roberto Rocha, a Comissão vai analisar, em especial, os repasses feitos a partir de 2007 ao Grupo J&F, holding de várias empresas, e à JBS, todas de propriedade dos irmãos Wesley e Joesley Batista. Foi essa linha de crédito que permitiu aos irmãos Batista internacionalizar suas operações por meio da compra de frigoríficos em diversos países, com destaque para os Estados Unidos se transformando nos maiores produtores de carne no mundo.

Em delação premiada, Joesley Batista revelou o repasse de recursos para o presidente Michel Temer em troca de vantagens no governo, o que foi negado pelo Palácio do Planalto.

Na condição de relator, Roberto Rocha afirmou que a CPI deverá convocar os donos da JBS:

“Certamente o Brasil espera que isso aconteça. Antes de instalar a CPI, o meu gabinete recebeu inúmeros e-mails sugerindo isso. De tal modo, que não faltarão senadores para sugerir que eles sejam ouvidos na comissão. Que isso é uma medida mais que importante, é necessária para esclarecer muitos fatos que ficaram obscuros.”

O presidente da CPI, senador Davi Alcolumbre, disse que as investigações não vão comprometer a reputação do BNDES.

Segundo o BNDES, desde 2005, a JBS recebeu R$ 8,1 bilhões em empréstimos e em compras de ação. A CPI do BNDES terá a duração de 6 meses prorrogáveis por igual período. E contará com a participação de 13 titulares e 7 suplentes.

 





Notícias

Enquete

Você é a favor do Uber em São Luís?:

E-mail: